Ganhar o peso de um bebê, que delícia!

Eu confesso que estava apavorada quando, enfim, comecei a ganhar peso na gravidez. Lá pela 20ª semana a balança começou a subir e eu comecei a ficar com o coração na mão. Desde que soube da minha gravidez, não fiz dieta alguma, segui a alimentação que já vinha fazendo, me permiti alguns abusos e torci para que desse tudo certo. Nos primeiros meses eu cheguei a perder peso, achei o máximo. Até que comecei a repensar isso daí. E tudo mudou.

Agora a minha relação com o peso está completamente diferente. Eu quero ganhar peso (claro, dentro do normal), eu quero ver a minha barriga crescer, eu quero que a minha bebê ganhe peso junto comigo. Eu quero que as minhas calças jeans parem de servir…quero parecer uma gravidona de verdade.

Cheguei em uma fase em que a “Patrícia operada de bariátrica” já não está mais dando as caras por aqui. Sou a Patrícia, mãe da Helena, que está amando exibir sua barriga e contar pra todo mundo que já está pra lá do 6º mês.

Minha barriga não é das maiores. Uma barriga de grávida um pouquinho diferente. Após perder tanto peso, o excesso de pele estava aqui. E para preencher todo esse “vazio” eu preciso de mais tempo do que uma mulher que não tenha pele no lugar de músculos abdominais bem definidos. Não vou mentir, queria estar exibindo um barrigão por aí, queria estar desfilando igual uma pata pelas ruas da cidade, mas sei que minha hora chegará. Enquanto isso, nada como vestidos que acentuem a barriga e calças que deixem a cintura (sim, ainda tenho cintura) menos marcada, pra pancinha aparecer melhor!

A minha barriga cheia de cicatrizes nunca foi tão apreciada. Eu adoro ficar olhando pra ela, especialmente quando se mexe. São pulos de alegria, momentos de prazer quando sinto a minha mocinha tentando se comunicar comigo através dessa pele e dessas marcas. Não tenho mais vergonha de exibir a pança. Não na rua, claro, porque esse nem é meu perfil. Mas em casa, que eu nunca mostrava pra ninguém, eu to achando lindo exibir bastante.

As prioridades mudam, a vida ensina demais.

Eu quero continuar saudável. Mas quero sim, viver uma gravidez como qualquer mulher. Meu ganho de peso foi baixo, menos de 4kg em 26 semanas de gestação. Mas a Altura Uterina (medida usada para avaliar o bebê intra utero) está dentro do padrão e a minha bebê está bem. Não é um bebezão. Está no limite do peso, o que é bem normal pela minha baixa ingestão de nutrientes, mas está saudável e muito feliz. Isso que importa.

Na ultrassonografia morfológica que fizemos semana passada ela sorriu. A médica nos presenteou com imagens 3D e além de notarmos que ela terá um nariz muito do bonitinho, vimos um sorriso lindo no rostinho dela. Sinal de bem estar, sinal de que lá de dentro ela está querendo me dizer que “sim, estamos bem, mamãe…tá tudo bem, agora”.

Está sim. Tá tudo bem agora…