Receita por Oliver Anquier.

Esse post começa com um sorriso de orelha a orelha, devido ao sucesso do prato. A primeira e única vez que tentei fazer esse macarrão, foi no início do namoro – há uns 3 anos – na casa de mãe de uma amiga nossa, em Saquarema. Não sei onde a doida arrumou a receita na época, mas mesmo sendo feito a 8 mãos, os ovos simplesmente desapareceram e acabamos almoçando macarrão com bacon.

Não o bastante, conversando sobre meus dotes culinários com meu pai este domingo, o mesmo – ainda que sem saber – me aterrorizou, dizendo que o problema do Carbonara era ficar com gosto de ovo cru! Na cara e na coragem, lancei o desafio a mim mesma.

As receitas que tenho feito são, em sua maioria, frutos de uma breve pesquisa no Google, começando pelo Tudo Gostoso, incluindo vídeos curtos no YouTube como o Gourmet a dois e por aí vai… Às vezes procuro as receitas do Buddy Velastro, o “cake boss”, mas confesso que tenho uma certa insegurança quanto as medidas em OZ. A de hoje, por acaso, achei no site do GNT, receita do Oliver Anquier. Por ser um chef conhecido, resolvi seguir a risca e ver o que dava. Falo isso porque é incrível a quantidade de variações de uma mesma receita que se encontra na Internet, muitas dela “aportuguesando” os pratos e substituindo ingredientes, e não é bem esse o meu objetivo.

Então vamos aos ingredientes, para 500g de massa (usei o “ninho largo”, como diz na embalagem do que eu chamo de “talharim”. Talvez eu precise fazer uma breve pesquisa sobre os tipos de massa disponíveis no mercado…)

20140701-221906-80346247

Ingredientes

500g de macarrão a sua escolha
300g de bacon
1 dente de alho amassado
1 colher de sopa de azeite
5 ovos a temperatura ambiente
5 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
5 colheres de sopa de queijo pecorino ralado (ou dobrar o parmesão)
Pimenta-do-reino e sal a gosto

Modo de preparo

Comecei ralando os queijos em pontes separados, medindo as tais 5 colheres de sopa com a colher do faqueiro mesmo, em vez de usar o medidor. Explico: Particularmente, acho que o medidor se aplica mais a líquidos. Como eu queria quantificar queijo ralado, achei melhor encher a colher de sopa do faqueiro aqui de casa e contar 5x. Depois, medi na balança e vi que essas 5 colheres correspondem a aproximadamente 110g de cada queijo. E o tal queijo pecorino achei no supermercado Zona Sul, mas acredito que seja possível encontrar em outros.

Em paralelo, juntei 5 ovos em outro recipiente e bati até ficar homogêneo, utilizando o garfo mesmo.

Deixei esses 3 ingredientes reservados, separadamente, e me dediquei ao bacon. Primeira dúvida: tirar ou não aquela pele mais grossa? Tirei. Cortar em tiras ou cubinhos? Comecei com tiras, achei que estava muito grande e cortei em cubinhos.

Comecei a ferver a água do macarrão.

Utilizando o medidor de medidas, adicionei o azeite em uma frigideira grande (do tipo “tacho”, como minha mãe costuma chamar) e deixei esquentar um pouco em fogo médio. Adicionei o bacon em cubinhos e deixei fritando… Solta uma gordura danada e cria uma espécie de espuma de fritura. Senti até algumas artérias ameaçarem a entupir.

O bacon vai adquirido uma cor linda dourada, e a gordura vai ficando menos opaca. Nesta hora, adicionei o dente de alho (que não consegui moer pq o moedor quebrou bem na hora! Acabei amassando na tábua com o socador. Tudo sob controle). Deixar o bacon terminar de fritar, de olho no alho pra não queimar. Quando ambos estavam dourados, desliguei o fogo e resisti a tentação de jogar fora parte da gordura que o bacon soltou.

A essa altura, a água do macarrão já estava fervendo. Adicionei o sal e a massa, mexendo sempre pra não deixar grudar.

Em um quarto recipiente, juntar os ovos batidos e os queijos parmesão e pecorino. Mexendo levemente até ficar homogêneo, adicionar pimenta do reino a gosto. Costumo moer na hora. Deixar essa mistura reservada.

Quando o macarrão estiver quase al dente, reacender o fogo da panela bacon e deixar esquentar, mas com cuidado para não deixar queimar. Uma vez que o macarrão estiver pronto, começa a missão:

Escorrer toda a água do macarrão em um escorredor, e transferir o macarrão para a frigideira contendo o bacon, com o fogo ainda ligado. Mexer bem até que o bacon esteja distribuído por toda a massa. Desligar o fogo e jogar por cima do macarrão, ainda na frigideira, a mistura de ovos e queijos. Despejei uma parte, misturei bem com cuidado pra não quebrar o macarrão, e então despejei o restante. É incrível como você vai vendo os ovos cozinharem diante dos seus olhos, os queijos derreterem e isso tudo adquirindo uma textura cremosa no macarrão, salpicado de bacon.

Transferir para um refratário e servir imediatamente.

Destaco aqui a importância dos ovos estarem a temperatura ambiente, porque ainda que você misture o macarrão na frigideira com o bacon, o único calor que a mistura ovos+queijos recebe é a da massa. Creio eu que se os ovos ainda estiverem gelados, é provável que o macarrão fique um pouco mais frio que o desejado – o pesadelo de pessoas como eu, que detestam comidas “morninhas”.

Tinha até separado um pedacinho de parmesão pra ralar no prato, por cima do macarrão, mas achei completamente dispensável.

Espero que vocês se arrisquem nesta receita e fiquem tão radiantes quanto eu. Ainda mais depois de um dia frustrante, quando seus experimentos não dão certo e você não consegue repetir aqueles dados tão promissores.

11022939_10152682416042864_856543823_n
Renata Novaes é b
ióloga. Doutoranda em pânico e levemente atrasada. Entusiasta do mundo culinário, escreve o blog Terapia Gourmet.